Conheça a hérnia inguinal, a mais comum no abdômen

Conheça os tipos de hérnia e como tratá-las
7 de agosto de 2017

Conheça a hérnia inguinal, a mais comum no abdômen

Você conhece alguém que sofre com uma hérnia na região do abdômen? Muito possivelmente seja uma hérnia do tipo inguinal, a qual corresponde a 75% dos casos do problema nessa região do corpo.

Além disso, de acordo com profissionais da área médica, a hérnia inguinal atinge ao redor de 2 milhões de pessoas todos os anos no Brasil. Desse total, a grande maioria é composta por homens, público que sofre mais com a condição.

 

Mas o que é a hérnia inguinal?

A hérnia inguinal é o resultado de um dano da parece abdominal, o que permite que o intestino seja empurrado para fora. Isso cria uma saliência na região inguinal (virilha), a qual pode ser vista abaixo da pele.

 

O que causa o dano da cavidade abdominal?

O ser humano tem os órgãos protegidos por uma parede fibrosa, a qual é composta de músculos, pele e membranas. Quando alguma das camadas sofre um dano, cria-se uma espécie de túnel (orifício) através do qual o órgão se desloca, dando origem à hérnia.

No caso da hérnia inguinal, o rompimento da parede ocorre no abdômen. Isso faz com que parte do intestino se projete em direção à virilha ou ao saco escrotal (em homens).

Cabe destacar que a hérnia inguinal possui vários estágios e quanto antes tratada, menores são as consequências. Normalmente ocorre de 2 formas:

  • Direta: em casos assim, o orifício é decorrente de esforços físicos exagerados, de tosse crônica, de obesidade, da prática de esportes, da constipação intestinal, ou da idade avançada, por exemplo. No caso das mulheres, a gestação pode ser uma das causas.
  • Indireta: a hérnia inguinal indireta é causada por falha congênita (nascimento), o que faz com que seja mais comum em crianças e adolescentes. O problema decorrente de uma má formação da parede que protege o intestino, a qual não se fecha adequadamente.

Quais os principais sintomas da hérnia inguinal?

A hérnia inguinal é marcada por uma saliência que surge na região da virilha. Normalmente, ocorre no lado direito (em 2 de cada 3 casos). Nem sempre é visível, mas costuma se destacar quando a pessoa faz algum esforço, como:

  • Tossir;
  • Evacuar;
  • Chorar;
  • Levantar peso;
  • Ficar em pé;

Além disso, a hérnia inguinal é acompanhada de dor, principalmente quando em estados mais avançados. A pessoa ainda pode ter vômitos, febre, e problemas intestinais.

 

Como tratar a hérnia inguinal?

A cirurgia é a única maneira de tratar a hérnia inguinal, a qual promove a correção do problema. O cirurgião recoloca a parte afetada do intestino no lugar e corrige a parede abdominal afetada.

Para que a parede abdominal seja fechada, o profissional faz o uso de uma tela para hérnia, adaptando o tamanho do material à necessidade de cada caso. É importante destacar que a tela para hérnia,  solucionada 97% dos casos, pois é integrada ao tecido não danificado pela hérnia.

Além disso, a correção da hérnia inguinal com o uso da tela sintética oferece uma recuperação mais rápida, o que faz com que a pessoa retorne mais prontamente às atividades do cotidiano. A tela pode ser inserida por meio de incisão abdominal, ou ainda por cirurgia videolaparoscópica, através da qual o cirurgião faz o uso de pinças na região do abdômen.

Por isso, diante de sinais físicos, ou dores na região do abdômen, o mais indicado é buscar um médico para que seja realizado um diagnóstico.